A comemoração do Dia da Bíblia tem seu início em 1549, quando o Bispo Cranmer, que vivia na Grã-Bretanha, incluiu no livro de orações do rei Eduardo VI um dia especial para que a população intercedesse em favor da leitura do Livro Sagrado.

Naquela época, a data escolhida foi o Segundo Domingo do Advento (Advento é o período litúrgico que é celebrado a partir do quarto domingo anterior ao Natal).

Dessa forma, a partir dos anos seguintes, o dia de intercessão em favor da leitura da Bíblia, foi chamado de Dia da Bíblia e permaneceu o segundo domingo de dezembro.

Hoje, um dia dedicado às Escrituras Sagradas é comemorado em cerca de 60 países. Em alguns desses países, a data é celebrada no segundo domingo de setembro, numa referência ao trabalho do tradutor Jerônimo, na Vulgata, conhecida tradução da Bíblia para o latim.

No Brasil, o Dia da Bíblia começou a ser celebrado pelos primeiros missionários evangélicos, oriundos da Europa e Estados Unidos, a partir de 1850. Durante o período do Império, a liberdade religiosa aos cultos protestantes era muito restrita, o que impedia manifestações públicas dos evangélicos. Por volta de 1880, esta liberdade foi crescendo e o movimento evangélico, juntamente com o Dia da Bíblia, se popularizando.

Pouco a pouco, as diversas denominações evangélicas institucionalizaram a tradição do Dia da Bíblia, que ganhou ainda mais força com a fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em 10 de junho de 1948. Em dezembro desse mesmo ano, houve uma das primeiras manifestações públicas do Dia da Bíblia, em São Paulo, no Monumento do Ipiranga.

Hoje, as comemorações do segundo domingo de dezembro mobilizam, todos os anos, muitos cristãos em todo Brasil. Em alguns estados e em vários municípios, o Dia da Bíblia é data oficial.